Cancro em cães

O câncer pode ser definido como uma patologia desencadeada por fatores ainda não bem esclarecidos, caracterizada por uma divisão e multiplicação celular capaz de destruir e invadir órgãos e tecidos biológicos.

Comum também em animais de acordo com pesquisas esta doença é responsável pela morte de aproximadamente 50% dos cães com idade acima de 10 anos.


 

 


Fatores Responsáveis Pelo Aparecimento de Câncer em Cães


O câncer em cães é uma neoplasia que acomete principalmente as fêmeas e embora haja fatores de predisposição como anatomia e pelagem seu aparecimento independente de sua raça.
Segundo diferentes pesquisadores o surgimento e o desenvolvimento do câncer em cães pode ocorrer em virtude de alterações moleculares ou cromossômicas, situações genéticas espontâneas ou hereditárias, descontrole hormonal ou ainda em virtude de fatores externos como vírus, parasitas.
Conforme pesquisas há evidências de que principalmente os retrovírus são capazes de promover mudanças no DNA canino, facilitando o desenvolvimento de alguns tipos de câncer.
Entre os parasitas o Spirocerca lupi, verme que se aloja no estômago ou esôfago de cães, pode causar tumores esofágicos e estomacais nestes animais.
Secreções anormais de estrógeno ou progesterona também podem desencadear aumentos de replicação celular e consequentemente desenvolvimentos de cânceres de mama, testículo e pênis em cães.


 

 

 

 



Tipos de Câncer mais Comuns em Cães


Um dos tipos mais comuns de câncer em cães é o osteossarcoma, tumor que acomete os ossos sendo responsável por aproximadamente 80 a 85% das alterações malignas na estrutura óssea canina.
Seu desenvolvimento é rápido havendo alto poder de destruição dos tecidos ósseos dos membros afetados, causando dor, inchaço e letargia.
O segundo tipo mais comum de câncer em cães é o condrossarcoma que afeta tecido cartilaginoso atingindo cavidade nasal, ossos longos, válvulas cardíacas, entre outros.
Seu crescimento é lento causando dor, secreção nasal, aumento do membro afetado e o aparecimento de massa palpável.
Os fibrossarcomas são o terceiro tipo mais comum de neoplasia canina. São neoplasias malignas que comumente acometem cães afetando os fibroblastos estruturas responsáveis pela produção do tecido conjuntivo.
Este tipo de neoplasia canina pode aparecer em qualquer localização e órgão, provocando metástases nos linfonodos, pericárdio, coração, entre outros.
Fraturas, dores, inchaço e o aparecimento de massa palpável são os sintomas mais frequentes.
Neoplasia muito comum em cães o hemangiossarcoma é um tumor que se desenvolve no tecido vascular, provocando modificações nas células mesenquimais, causando o crescimento de células endoteliais malignas.
Esta neoplasia pode se iniciar em qualquer tecido vascularizado, afetando principalmente o baço, fígado e átrio direito.
Os principais sinais desta neoplasia são fratura, aumento do volume de tecidos moles na região tumoral e da parede torácica.
O carcinoma epidermóide ou câncer de pele é caracterizado pelo aparecimento na pele de cães de células que possuem uma arquitetura desorganizada apresentando núcleos atípicos.
Sua etiologia ainda é desconhecida, entretanto sabe-se que fatores como exposições prolongadas á radiação ultravioleta, á metais pesados, ausência de pelos, úlceras crônicas, cicatrizes ou genodermatoses podem ser fatores de predisposição a esta doença.
Em cães esta neoplasia pode acometer qualquer região da pele como lábios, tronco, pernas e escroto, lábios e afeta principalmente animais que possuem pelos e pele clara.
Podem aparecer com aspecto de couve-flor apresentando sangramento com leves toques ou erosivos em forma de crateras profundas ulceradas e recobertas por crostas.


Câncer em Cães

Diagnóstico e Tratamento


O diagnóstico de tumores em cães em estágios iniciais ainda é um grande desafio para profissionais que atuam na Medicina Veterinária.
Embora tenha ocorrido um avanço nas metodologias e técnicas de em análises clínicas e diagnóstico por imagem a procura por parte dos donos dos animais ainda é baixa.
O diagnóstico inicial é feito a partir de uma avaliação física criteriosa combinada a exames sanguíneos de análises clinicas e radiografias do local suspeito e dos pulmões.
Caso os resultados indiquem uma possível neoplasia é feita uma biópsia removendo totalmente o tumor com o objetivo de identificar o seu tipo e ao mesmo tempo evitar que haja metástase.
O tratamento depende do grau de evolução da doença e do tipo de neoplasia, basicamente são administrados medicamentos quimioterápicos combinados à aplicação de seções radioterapia.

 

 

 


publicado por Al às 14:48
link do post | comentar | favorito